• Pamella Amorim Liz

Lua de mel: O deslumbramento do 1° mês


O primeiro mês em um novo país é capaz de nos trazer um sem fim de sentimentos e expectativas, como ansiedade e deslumbramento Muitas pessoas dizem que esta fase pode ser comparada à lua de mel (digam vocês, eu não faço ideia, não casei), justamente por ser um período de experiências positivas e emocionantes, na qual passamos pela realização de sonhos, explorações e descobertas - pessoal, do outro e do mundo - e, principalmente, um descanso pós estresse da festa de casamento. Aqui no caso, o estresse da preparação para a mudança. É aquele algo que você vem desejando há tanto tempo, e finalmente consegue ter. É a felicidade tal qual de uma criança que finalmente conhece seu ídolo ou ganha aquele presente depois de tantos "na volta a gente compra".

O choque inicial da chegada - com sentimentos de dúvidas e incertezas misturados a vontade de recomeçar - dá lugar à um mundo de possibilidades e descobertas em sua nova casa. Aos poucos você se apaixona pelo estilo de vida e pelo balanço que se tem entre trabalho e família. As pessoas fazem questão de aproveitar o dia, seja no parque, num happy hour com os amigos, fazendo exercício, ou em casa relaxando com a família. É saber aproveitar um dia quente de Sol, o dia longo de verão, dar valor pra cada momento em que seu corpo pode absorver vitamina D (que não sejam os comprimidos de suplemento). Você vê que as mesas mais disputadas em bares e cafés ficam na rua, e a conversa vai até tarde.

Os parques são cheios de gente e de vida, de flores, cores e movimento. Não que no inverno isso não exista, mas é muito mais bonito passear pelo Amstelpark ou Vondelpark durante a primavera ou verão. As pessoas se reúnem para um piquenique pós trabalho, crianças aproveitando dia, o parque vira praia e muita gente aproveita para pegar Sol. As luzes da cidade durante a noite iluminam os canais e as casas levemente inclinadas, evidenciando a arquitetura tão antiga e tão particular de Amsterdam. Você percebe a silhueta das pontes, e com sorte vê uma delas sendo içada para um barco passar (e alguns patos também).

Esse é o momento em que você está descobrindo tudo o que a cidade tem pra te oferecer. E como tem coisa pra oferecer! São tantas opções de lojas e marcas que você só ouvia falar, ou nem isso, com variedades mil, preços tão baixos que te fazem querer tudo. Primark e Action não me deixam mentir! Quando que você ia imaginar que comprar roupas da estação poderia ser tão barato?! E são lojas viciantes, porque mesmo não precisando de nada, você entra lá só pra espiar… vai que tem promoção?! Talvez sejam oportunidades que você nunca tenha tido e agora quer mais é aproveitar, deixando aos poucos as coisas ao seu redor como você sempre quis e sonhou para essa nova fase, seja comprando aquele chocolate que no Brasil custa uma fortuna ou pequenos itens de decoração pro apartamento novo. O fato é que você percebe que seu poder e possibilidades de compra aumentaram, são mais opções à disposição. E a consumista dentro de você sabe disso. E claro, você percebe que viajar é mais fácil e mais barato, os lugares que pareciam tão distantes, hoje são praticamente aqui ao lado. Quem diria, do Brasil pro mundo!

É difícil de explicar, mas você se sente mais segura ao andar nas ruas, mesmo à noite, voltando pra casa sozinha de bicicleta ou metrô, e isso também se estende aos seus pertences. É incrível entrar em um café e ver as pessoas trabalhando com notebook e simplesmente levantando para, ir ao toalete ou pedir café, e deixando tudo na mesa. Sem problema algum. Também é lindo de se ver como ninguém julga a maneira como você vive sua vida, sua orientação sexual, nem nada. Você tem liberdade de decisão sobre sua vida, seu corpo, suas escolhas. Inclusive uma das festas mais lindas em que já estive aqui, e com intensa participação das instituições, empresas e famílias, foi a Gay Pride.

Por isso que ao andar nas ruas, existe essa sensação de segurança, de que nada de mal pode acontecer. Você começa a se sentir mais livre e à vontade - tanto com a cidade, como consigo mesma. Aos poucos você vai notando as diferenças entre cá e lá, às vezes sente falta de parcelar alguma coisa, acha estranho roubarem bicicleta e o fato da menor "Picanja" do Kema Vlees ter 2Kg. Mas olha, nada supera essa vida nova de descobertas e realizações que você está vivendo.

Pamella Amorim Liz

Escritora, mestre em história e cozinheira. Mora em Amsterdam há quase 3 anos e adora a vida entre tamancos, chuva e tulipas.

Se você gostou do texto, curta e compartilhe nas suas redes sociais.


0 views

©2019 by Anelise Brazilian Coach

  • Anelise Brazilian Coach
  • Facebook Social Icon
  • LinkedIn Social Icon